Associe-se agora

As Diferentes Carreiras Dentro do Design

Todo ano, milhares de pessoas esperançosas tentam entrar na profissão sem ao menos saber do que se trata, e sem entender claramente como a carreira de designer é diferente de, por exemplo, um artista plástico ou ilustrador. Se você está se preparando para investir uma grande quantia de dinheiro para entrar em um programa de graduação de design, ou se você acaba de se formar e está se perguntando o quê esperar do mundo profissional, esse artigo é para você!

Carreiras criativas

Se você é uma pessoa criativa, há muitas possibilidades para canalizar essa criatividade – desde música até moda, arquitetura até cinema. Mais especificamente, se você está interessado em comunicação visual, você pode ser atraído por uma carreira em artes plásticas, fotografia, ilustração, ou design. No entanto, é importante entender que cada uma dessas opções de carreiras visuais serve para um diferente temperamento pessoal. Todas elas envolvem criação e uso de imagens, mas elas não são as mesmas em termos de psicologia e processo de trabalho. É importante escolher a que é certa para você.

Artes Plásticas

Artistas plásticos tendem a trabalhar sozinhos , selecionando seus próprios temas e definindo seus próprios padrões. O trabalho gira em torno da exploração pessoal e da auto-expressão. Se você escolher uma carreira em artes plásticas, você poderá definir o seu próprio cronograma e terá total controle sobre sobre sua produção. Uma vez satisfeito com uma peça, como uma pintura ou uma escultura, ela está concluída e não mudará depois de ter deixado as suas mãos. Para construir uma carreira de sucesso, você deve gostar de trabalhar independentemente e ser bom em se motivar para trabalhar. Sua renda será gerada através da venda de itens individuais, portanto você deve produzir uma quantidade suficiente de peças e fazer um bom trabalho calculando o preço das unidades. A maior parte das vendas de artes plásticas são feitas através de galerias num regime de consignação. A galeria fica com uma grande comissão em cada transação. Alguns artistas plásticos também procuram doações para apoiar projetos pessoais. O dinheiro, que geralmente vem de fundações sem fins lucrativos ou agências do governo, é um subsídio – não tem que ser reembolsado. Obviamente, há uma intensa competição por essas doações.

 Fotografia e Ilustração

A carreira de alguns fotógrafos e ilustradores são centradas em artes plásticas também – particularmente aqueles indivíduos que criam imagens pessoais para vender através de galerias ou geram projetos pessoais como livros de edição limitada. No entanto, muitos fotógrafos e ilustradores aceitam tarefas comerciais de clientes empresariais. Produzir um trabalho que atenda as necessidades de um cliente em particular é muito diferente de produzir um trabalho só para você. Clientes empresariais especificam as imagens, tamanho e mídia, e você tem que atender qualquer especificação técnica exigida para o uso e a reprodução do trabalho. Você deve estar confortável aceitando comentários e fazendo qualquer revisão exigida. Orçamentos e cronogramas devem ser respeitados e, durante todo o processo, você deve se comunicar com o cliente e deixá-lo satisfeito.

Design gráfico

Ao contrário das artes plásticas, o foco do design gráfico não é auto-expressão ou questões pessoais. Ser um designer profissional significa resolver problemas empresariais e de comunicação. Você estará fornecendo opiniões especializadas e serviços estratégicos para ajudar os clientes a ter sucesso em um ambiente competitivo. O impacto e resultados do seu trabalho serão medidos por múltiplos conjuntos de critérios – tanto seus como de seu cliente. Cada projeto deve possuir altos padrões estéticos, mas também deve atender objetivos empresariais específicos. Muitas tarefas profissionais de design utilizam várias mídias diferentes, como impressa, on-line ou transmitida. Isso significa que a maioria das tarefas exigem uma equipe multi-disciplinar. Projetos se desenvolvem através de um processo interativo de múltiplos direcionamentos de design e refinamentos, por isso você precisa estar confortável com a troca de idéias de colaboradores.

Existem formas diferentes de estruturar equipes e formas diferentes de cobrar por serviços de design. Se você é um freelancer que está sendo terceirizado por uma estabelecida empresa criativa, significando que você foi trazido numa base de curto prazo para ajudar no projeto de outra pessoa, você será pago com uma taxa de freelancer. Se você aceitar uma posição de staff como parte de uma equipe criativa, você negociará um salário. No entanto, quando você está prestando diretamente a um cliente, é comum que os projetos de design sejam negociados numa base de taxa fixa. Alguns designers são também capazes de gerar renda através de licenciamento de direito autoral. Isso pressupõe que você desenvolveu e é dono da propriedade intelectual, como designs de produto ou aplicações de software.

Ensino

Para alguns indivíduos, ensinar pode ser também uma opção de carreira, mas as chances são de que não será em tempo integral. A maioria das escolas de arte e design contratam profissionais que estejam trabalhando para ministrar cursos especializados em tempo parcial. Há muitos benefícios para essa abordagem. Ela dá aos estudantes acesso às técnicas e informações mais recentes. Além de dar oportunidades para desenvolver suas próprias redes pessoais, talvez aprender sobre estágios ou freelancing e até quem sabe conhecer um empregador em potencial. Por essas razões, é comum que os professores de arte ou design ensinem além de trabalhar com clientes.

 Conjunto de habilidades para o design

Se você está interessado em se tornar um designer profissional, existem quatro habilidades essenciais que você deve possuir:

 TALENTO:

O primeiro requisito é talento. você deve ter um habilidade instintiva de exercer bom julgamento manipulando os elementos formais da comunicação visual como contraste, escala, cor, estímulos e tipografia. Você deve estar apto a usá-los efetivamente para desenvolver soluções visuais novas e apropriadas para resolver problemas de comunicação complexos. Se você não possuir essa habilidade criativa, ou o potencial para desenvolvê-la ao longo do curso, então você não está apto para ser um designer.

HABILIDADES TÉCNICAS:

O segundo requisito para uma carreira de sucesso são conhecimentos técnicos – domínio das ferramentas necessárias para produzir e implementar suas soluções. Habilidades técnicas são como alvos móveis pois as ferramentas de design estão em constante mudança. Por exemplo, vinte anos atrás as ferramentas do design gráfico incluíam réguas T, folhas de letraset, ampliadores fotográficos e canetas Staedler. Eventualmente, todas elas foram descartadas. As ferramentas básicas atuais são principalmente digitais, incluindo QuarkXpress, Adobe InDesign, Illustrator, Photoshop e Acrobat, assim como Macromedia’s Dreamweaver e Flash. No entanto, em vinte anos elas também serão substituídas por ferramentas ainda mais novas, isso significa que cada um de nós precisa constantemente expandir nossas habilidades técnicas e ficar por cima de novos desenvolvimentos.

HABILIDADE COM PESSOAS:

O terceiro requisito é um conjunto sólido de habilidades interpessoais. Isso significa ser um bom ouvinte e um bom comunicador verbal que é capaz de construir e sustentar relações positivas e produtivas com os outros. Significa ser capaz de estabelecer e manter respeito mútuo. Significa ter uma perspectiva positiva e demonstrar elegância sob pressão. Essas qualidades positivas motivarão os outros a procurar por você. Colegas de trabalho irão querer você em suas equipes e clientes irão querer trabalhar com você. Oportunidades de carreira serão bem limitadas para aquele designer que é visto como um lobo solitário – defensivo, territorial, não-cooperativo, ou difícil de entender.

HABILIDADE COM NEGÓCIOS:

A quarta habilidade essencial de um designer é habilidade com negócios. Para podermos aconselhar nossos clientes, nós precisamos entender claramente seus desafios empresariais, tendências e opções. Em cada  conta nova temos que reagir de maneira rápida às demandas. Temos também que ser igualmente espertos quando se trata das nossas próprias questões financeiras, de marketing e de gestão. Conhecimento empresarial é o que mantém nossas carreiras sustentáveis ao longo do nosso trajeto.

 Variedade de disciplinas de design

O campo do design é bem grande,abrangendo várias disciplinas. Isso cria uma espécie de paradoxo. Um bom designer deve ser generalista suficiente para enxergar o conjunto e desenvolver estratégias que são compreensíveis, mas ao mesmo tempo ele ou ela deve ser especialista em uma disciplina de design em particular para executar uma estratégia com sucesso num nível tático. Cada componente individual de um sistema deve ser entregue bem trabalhado. Afinal, é claro, não é possível que uma pessoa saiba e faça tudo. Você deve escolher uma área de concentração baseado no seu talento e interesses, e depois ter em mente como aquela peça encaixa no quebra-cabeça. Para freelancers e proprietários únicos isso significa desenvolver especialidade pessoal em uma área específica e desenvolver uma rede de contatos em disciplinas complementares com as quais você pode colaborar quando necessário. Grandes empresas de design são capazes de contratar indivíduos de diferentes especialidades, colocando-os juntos em equipes multi-disciplinares. Juntos, eles são capazes de planejar e executar sistemas completos com componentes que abrangem tantos ambientes e tipos de mídia quanto necessário. Dependendo da empresa e da natureza do trabalho sendo feito, as seguintes disciplinas podem ser representadas:

  • Planejamento e pesquisa de design
  • Design de identidade visual
  • Comunicações e design colateral
  • Design editorial
  • Identidade visual e design de embalagem
  • Publicidade e promoção
  • Design da informação
  • Design da interação
  • Design de imagens em movimento
  • Design Ambiental
  • Design Industrial

Diferentes funções de equipe

Além de trazer suas habilidades de design especializadas ao grupo, você também terá um papel particular na equipe. Dependendo dos desafios do projeto, as equipes podem incluir indivíduos nos seguintes papéis:

  • Estrategistas
  • Designers
  • Especialistas em implementação
  • Programadores
  • Gerentes de projeto

Há também outros possíveis papéis, e algumas pessoas desempenham mais de um. Numa empresa pequena, é provável que você troque de papel entre um projeto e outro. Numa empresa grande, no entanto, seu papel pode ser menos flexível.

Empregadores em Potencial

O próximo passo para planejar a sua carreira de designer é decidir se você quer ser parte de um departamento de criatividade interno, se juntar a uma consultoria externa ou continuar independente como freelancer. É preciso escolher o ambiente em que você se sentirá mais confortável e será capaz de fazer o seu melhor trabalho.

DEPARTAMENTO INTERNO DE DESIGN (também chamado de HOUSE)

Muitos designers aceitam trabalhar dentro das empresas dos clientes. Se o seu objetivo é se tornar parte de uma equipe criativa interna, há muitos grandes negócios que contratam funcionários de design regularmente, incluindo:

  • Editoras
  • Companhias de entretenimento
  • Emissoras de TV
  • Negócios Online
  • Empresas de grande porte

Designers internos são geralmente responsáveis por manter um sistema de identidade existente e ter certeza de que há consistência criativa em todos os materiais produzidos. Equipes internas tendem a trabalhar em projetos que se repetem. As tarefas principais geralmente vão e voltam num ciclo anual que reflete promoções sazonais e grandes eventos. Uma das maiores vantagens de trabalhar em uma grande organização é a oportunidade de colaboração contínua com gerentes de produto e executivos de marketing. Para um jovem designer, é uma chance incrível de participar no desenvolvimento de estratégia a longo prazo e de ver desafios criativos do ponto de vista do cliente. Outra vantagem que não deve ser negligenciada é que, por seu tamanho, uma companhia grande é geralmente capaz de oferecer um pacote de benefícios mais extensivo assim como algum grau de segurança do trabalho. Um aspecto negativo é que você pode ter que lidar com políticas corporativas. Numa companhia grande, há sempre uma certa tensão entre departamentos os departamentos em relação aos recursos, orçamentos e autoridade na tomada de decisões.

 CONSULTORIA EXTERNA:

Trabalhar em uma firma de design ou em uma agência de publicidade é uma boa opção para um jovem designer porque envolve uma grande variedade de tarefas criativas de clientes em diferentes indústrias. É também uma boa forma de aprender. Você terá um mentor de design e aprenderá sobre práticas de negócio e preços. Clientes corporativos compram uma série de serviços criativos de consultorias externas. A maioria das firmas criativas se posicionam como especialistas em uma disciplina em particular, como identidade corporativa e de marca, marketing e sistemas de comunicação, relações públicas, publicidade, serviços tecnológicos, design interativo ou design industrial. Muitas agências de publicidade pertencem a grandes empresas holding que são publicamente negociadas. Em contraste, a maioria das firmas de design são pequenas e são propriedades privadas. Na verdade, é estimado que metade das firmas de design dos Estados Unidos possuem cinco funcionários ou menos. Mesmo firmas maiores raramente possuem mais do que cinqüenta funcionários.

SUA PRÓPRIA COMPANHIA:

Finalmente, você talvez decida que não quer estar na folha de pagamentos de mais ninguém. Você pode escolher permanecer independente. Nos Estados Unidos, o Bureau of Labor Statistics (um órgão responsável por coletar estatísticas do mercado de trabalho) acompanha as tendências de emprego numa grande variedade de ocupações. Suas informações indicam que 3 de cada 10 designers são autônomos, diferente das estatísticas de trabalho em geral, onde apenas 1 em cada 10 são independentes. Qualquer um que escolhe ser autônomo ou freelancer deve aprender rapidamente uma variedade de questões sobre pequenos negócios, incluindo gestão financeira e o básico de direito empresarial. Além de produzir bons designs, você é também responsável por seu próprio marketing e vendas. Seu sucesso a longo prazo dependerá da quantidade de contatos e auto-promoção que você fizer.

MANTENDO A FLEXIBILIDADE:

No começo de sua carreira, é importante se colocar no caminho que mais combina com seus interesses, talentos e temperamento – um que lhe dará oportunidades de crescimento pessoal e satisfação. Uma vez nesse caminho, no entanto, é também importante manter a flexibilidade e continuar aberto a novas oportunidades. A profissão de designer tem mudado significativamente nos últimos anos e continua a desenvolver-se. Mudanças econômicas maiores estão acontecendo também. A economia está deixando de ser baseada na produção para ser baseada no conhecimento, e os empregos estão mudando de permanentes para projetos de curto prazo que usam contratantes independentes ou trabalhadores temporários. Isso coloca uma ênfase crescente na perícia, rede de contatos, colaboração e tecnologia. Designers estão na ponta de tudo isso. Sucesso exige capacidade cerebral, empreendedorismo e flexibilidade. Enquanto você avança na sua carreira, sempre olhe em frente e mantenha a mente aberta.

 

Sobre o autor: Shel Perkins, é um designer, educador e consultor com 19 anos de experiência no gerenciamento das operações de empresas lideres no ramo criativo, nos EUA e Reino Unido. Para mais informações, visite www.shelperkins.com.

Obs: Esse é um resumo do texto original: “Making for a living”, disponível no link: http://cpm.aiga.org/content.cfm/making_a_living  

O texto original foi adaptado para a realidade brasileira.

 A tradução para o português foi autorizada para a ProDesignPR pelo AIGA (American Institute of Graphic Arts) – The professional association for design (www.aiga.com)

Tradução: Ana Carolina Garmatter Rocha
Revisão: Ricardo Alexandre Martins

 

Parcerias da Prodesign>PR

© 2011 ProDesign>pr • Associação para o Design do Paraná
Topo